Strict Standards: Non-static method JFilterInput::clean() should not be called statically in /home/dnagosbr/public_html/rede/administrator/components/com_biblia/libraries/application/component/controller.php on line 43

Strict Standards: Declaration of BibliaModelAll::populateState() should be compatible with JModelList::populateState($ordering = NULL, $direction = NULL) in /home/dnagosbr/public_html/rede/components/com_biblia/models/all.php on line 8
Mt 4:23 E percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas suas sinagogas e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo.
Mt 4:24 E a sua fama correu por toda a Síria, e traziam-lhe todos os que padeciam, acometidos de várias enfermidades e tormentos, os endemoninhados, os lunáticos, e os paralíticos, e ele os curava.
Mt 4:25 E seguia-o uma grande multidão da Galiléia, de Decápolis, de Jerusalém, da Judéia, e de além do Jordão.
Mc 4:1 E OUTRA vez começou a ensinar junto do mar, e ajuntou-se a ele grande multidão, de sorte que ele entrou e assentou-se num barco, sobre o mar; e toda a multidão estava em terra junto do mar.
Mc 4:2 E ensinava-lhes muitas coisas por parábolas, e lhes dizia na sua doutrina:
Mc 4:3 Ouvi: Eis que saiu o semeador a semear.
Mc 4:4 E aconteceu que semeando ele, uma parte da semente caiu junto do caminho, e vieram as aves do céu, e a comeram;
Mc 4:5 E outra caiu sobre pedregais, onde não havia muita terra, e nasceu logo, porque não tinha terra profunda;
Mc 4:6 Mas, saindo o sol, queimou-se; e, porque não tinha raiz, secou-se.
Mc 4:7 E outra caiu entre espinhos e, crescendo os espinhos, a sufocaram e não deu fruto.
Mc 4:8 E outra caiu em boa terra e deu fruto, que vingou e cresceu; e um produziu trinta, outro sessenta, e outro cem.
Mc 4:9 E disse-lhes: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
Mc 4:10 E, quando se achou só, os que estavam junto dele com os doze interrogaram-no acerca da parábola.
Mc 4:11 E ele disse-lhes: A vós vos é dado saber os mistérios do reino de Deus, mas aos que estão de fora todas estas coisas se dizem por parábolas,
Mc 4:12 Para que, vendo, vejam, e não percebam; e, ouvindo, ouçam, e não entendam; para que não se convertam, e lhes sejam perdoados os pecados.
Mc 4:13 E disse-lhes: Não percebeis esta parábola? Como, pois, entendereis todas as parábolas?
Mc 4:14 O que semeia, semeia a palavra;
Mc 4:15 E, os que estão junto do caminho são aqueles em quem a palavra é semeada; mas, tendo-a eles ouvido, vem logo Satanás e tira a palavra que foi semeada nos seus corações.
Mc 4:16 E da mesma forma os que recebem a semente sobre pedregais; os quais, ouvindo a palavra, logo com prazer a recebem;
Mc 4:17 Mas não têm raiz em si mesmos, antes são temporãos; depois, sobrevindo tribulação ou perseguição, por causa da palavra, logo se escandalizam.
Mc 4:18 E outros são os que recebem a semente entre espinhos, os quais ouvem a palavra;
Mc 4:19 Mas os cuidados deste mundo, e os enganos das riquezas e as ambições de outras coisas, entrando, sufocam a palavra, e fica infrutífera.
Mc 4:20 E os que recebem a semente em boa terra são os que ouvem a palavra e a recebem, e dão fruto, um a trinta, outro a sessenta, outro a cem, por um.
Mc 4:21 E disse-lhes: Vem porventura a candeia para se meter debaixo do alqueire, ou debaixo da cama? não vem antes para se colocar no velador?
Mc 4:22 Porque nada há encoberto que não haja de ser manifesto; e nada se faz para ficar oculto, mas para ser descoberto.
Mc 4:23 Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça.
Mc 4:24 E disse-lhes: Atendei ao que ides ouvir. Com a medida com que medirdes vos medirão a vós, e ser-vos-á ainda acrescentada a vós que ouvis.
Mc 4:25 Porque ao que tem, ser-lhe-á dado; e, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.
Mc 4:26 E dizia: O reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente à terra.
Mc 4:27 E dormisse, e se levantasse de noite ou de dia, e a semente brotasse e crescesse, não sabendo ele como.
Mc 4:28 Porque a terra por si mesma frutifica, primeiro a erva, depois a espiga, por último o grão cheio na espiga.
Mc 4:29 E, quando já o fruto se mostra, mete-se-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa.
Mc 4:30 E dizia: A que assemelharemos o reino de Deus? ou com que parábola o representaremos?
Mc 4:31 É como um grão de mostarda, que, quando se semeia na terra, é a menor de todas as sementes que há na terra;
Mc 4:32 Mas, tendo sido semeado, cresce; e faz-se a maior de todas as hortaliças, e cria grandes ramos, de tal maneira que as aves do céu podem aninhar-se debaixo da sua sombra.
Mc 4:33 E com muitas parábolas tais lhes dirigia a palavra, segundo o que podiam compreender.
Mc 4:34 E sem parábolas nunca lhes falava; porém, tudo declarava em particular aos seus discípulos.
Mc 4:35 E, naquele dia, sendo já tarde, disse-lhes: Passemos para o outro lado.
Mc 4:36 E eles, deixando a multidão, o levaram consigo, assim como estava, no barco; e havia também com ele outros barquinhos.
Mc 4:37 E levantou-se grande temporal de vento, e subiam as ondas por cima do barco, de maneira que já se enchia.
Mc 4:38 E ele estava na popa, dormindo sobre uma almofada, e despertaram-no, dizendo-lhe: Mestre, não se te dá que pereçamos?
Mc 4:39 E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança.
Mc 4:40 E disse-lhes: Por que sois tão tímidos? Ainda não tendes fé?
Mc 4:41 E sentiram um grande temor, e diziam uns aos outros: Mas quem é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?
Lc 4:1 E JESUS, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto;
Lc 4:2 E quarenta dias foi tentado pelo diabo, e naqueles dias não comeu coisa alguma; e, terminados eles, teve fome.
Lc 4:3 E disse-lhe o diabo: Se tu és o Filho de Deus, dize a esta pedra que se transforme em pão.
Lc 4:4 E Jesus lhe respondeu, dizendo: Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus.
Lc 4:5 E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo.
Lc 4:6 E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero.
Lc 4:7 Portanto, se tu me adorares, tudo será teu.
Lc 4:8 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Vai-te para trás de mim, Satanás; porque está escrito: Adorarás o Senhor teu Deus, e só a ele servirás.
Lc 4:9 Levou-o também a Jerusalém, e pô-lo sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo;
Lc 4:10 Porque está escrito: Mandará aos seus anjos, acerca de ti, que te guardem,
Lc 4:11 E que te sustenham nas mãos, Para que nunca tropeces com o teu pé em alguma pedra.
Lc 4:12 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Dito está: Não tentarás ao Senhor teu Deus.
Lc 4:13 E, acabando o diabo toda a tentação, ausentou-se dele por algum tempo.
Lc 4:14 Então, pela virtude do Espírito, voltou Jesus para a Galiléia, e a sua fama correu por todas as terras em derredor.
Lc 4:15 E ensinava nas suas sinagogas, e por todos era louvado.
Lc 4:16 E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler.
Lc 4:17 E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito:
Lc 4:18 O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração,
Lc 4:19 A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do SENHOR.
Lc 4:20 E, cerrando o livro, e tornando-o a dar ao ministro, assentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele.
Lc 4:21 Então começou a dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos.
Lc 4:22 E todos lhe davam testemunho, e se maravilhavam das palavras de graça que saíam da sua boca; e diziam: Não é este o filho de José?
Lc 4:23 E ele lhes disse: Sem dúvida me direis este provérbio: Médico, cura-te a ti mesmo; faze também aqui na tua pátria tudo que ouvimos ter sido feito em Cafarnaum.
Lc 4:24 E disse: Em verdade vos digo que nenhum profeta é bem recebido na sua pátria.
Lc 4:25 Em verdade vos digo que muitas viúvas existiam em Israel nos dias de Elias, quando o céu se cerrou por três anos e seis meses, de sorte que em toda a terra houve grande fome;
Lc 4:26 E a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a Sarepta de Sidom, a uma mulher viúva.
Lc 4:27 E muitos leprosos havia em Israel no tempo do profeta Eliseu, e nenhum deles foi purificado, senão Naamã, o sírio.
Lc 4:28 E todos, na sinagoga, ouvindo estas coisas, se encheram de ira.
Lc 4:29 E, levantando-se, o expulsaram da cidade, e o levaram até ao cume do monte em que a cidade deles estava edificada, para dali o precipitarem.
Lc 4:30 Ele, porém, passando pelo meio deles, retirou-se.
Lc 4:31 E desceu a Cafarnaum, cidade da Galiléia, e os ensinava nos sábados.
Lc 4:32 E admiravam a sua doutrina porque a sua palavra era com autoridade.
Lc 4:33 E estava na sinagoga um homem que tinha o espírito de um demônio imundo, e exclamou em alta voz,
Lc 4:34 Dizendo: Ah! que temos nós contigo, Jesus Nazareno? Vieste a destruir-nos? Bem sei quem és: O Santo de Deus.
Lc 4:35 E Jesus o repreendeu, dizendo: Cala-te, e sai dele. E o demônio, lançando-o por terra no meio do povo, saiu dele sem lhe fazer mal.
Lc 4:36 E veio espanto sobre todos, e falavam uns com os outros, dizendo: Que palavra é esta, que até aos espíritos imundos manda com autoridade e poder, e eles saem?
Lc 4:37 E a sua fama divulgava-se por todos os lugares, em redor daquela comarca.
Lc 4:38 Ora, levantando-se Jesus da sinagoga, entrou em casa de Simão; e a sogra de Simão estava enferma com muita febre, e rogaram-lhe por ela.
Lc 4:39 E, inclinando-se para ela, repreendeu a febre, e esta a deixou. E ela, levantando-se logo, servia-os.
Lc 4:40 E, ao pôr do sol, todos os que tinham enfermos de várias doenças lhos traziam; e, pondo as mãos sobre cada um deles, os curava.
Lc 4:41 E também de muitos saíam demônios, clamando e dizendo: Tu és o Cristo, o Filho de Deus. E ele, repreendendo-os, não os deixava falar, pois sabiam que ele era o Cristo.
Lc 4:42 E, sendo já dia, saiu, e foi para um lugar deserto; e a multidão o procurava, e chegou junto dele; e o detinham, para que não se ausentasse deles.
Lc 4:43 Ele, porém, lhes disse: Também é necessário que eu anuncie a outras cidades o evangelho do reino de Deus; porque para isso fui enviado.
Lc 4:44 E pregava nas sinagogas da Galiléia.
Jo 4:1 E QUANDO o Senhor entendeu que os fariseus tinham ouvido que Jesus fazia e batizava mais discípulos do que João
Jo 4:2 (Ainda que Jesus mesmo não batizava, mas os seus discípulos),
Jo 4:3 Deixou a Judéia, e foi outra vez para a Galiléia.
Jo 4:4 E era-lhe necessário passar por Samaria.
Jo 4:5 Foi, pois, a uma cidade de Samaria, chamada Sicar, junto da herdade que Jacó tinha dado a seu filho José.
Jo 4:6 E estava ali a fonte de Jacó. Jesus, pois, cansado do caminho, assentou-se assim junto da fonte. Era isto quase à hora sexta.
Jo 4:7 Veio uma mulher de Samaria tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber.
Jo 4:8 Porque os seus discípulos tinham ido à cidade comprar comida.
Jo 4:9 Disse-lhe, pois, a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana? (porque os judeus não se comunicam com os samaritanos).
Jo 4:10 Jesus respondeu, e disse-lhe: Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva.
Jo 4:11 Disse-lhe a mulher: Senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva?
Jo 4:12 És tu maior do que o nosso pai Jacó, que nos deu o poço, bebendo ele próprio dele, e os seus filhos, e o seu gado?

Encontrados 1287 - Versículos

Online

Temos 124 visitantes e Nenhum membro online